Como um Fisioterapeuta gera resultados dentro de uma empresa?

No dia 13 de outubro é celebrado o Dia do Fisioterapeuta e Terapeuta Ocupacional e, além de parabeniza-los (visto que boa parte de nossa equipe são Fisios), apresentaremos a você sobre a atuação deste profissional no ambiente do trabalho/empresa.
Basicamente existem três frentes de atuação que se relacionam, porém demandam competências específicas do profissional.

  1. Fisioterapia Clínica: avaliar, diagnosticar e tratar queixas e sintomas ortopédicos pode parecer simples, mas para uma alta eficácia, exige do profissional competências e habilidades aprofundadas em biomecânica, terapias manuais, métodos posturais e eletroterapia. Grande parte dos sintomas de dor possuem origem insidiosa, ou seja, não se relacionam a um trauma ou evento específico, necessitando assim de um olhar que não fique restrito ao local da dor.
  2. Fisioterapia do Trabalho: nesta frente a visão necessita ser um pouco mais ampla para atender o objetivo principal de prevenção e tratamento de distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (DORT), ou seja, ter uma base em ergonomia será essencial para o planejamento e execução de intervenções, sejam coletivas (grupos de exercícios preventivos, exercícios laborais compensatórios, treinamentos e etc.) e ou nos próprios postos de trabalho.
  3. Ergonomia: aqui mora um dos maiores desafios para um fisioterapeuta que atua dentro de empresas, atuar como Fisioterapeuta Ergonomista. Como a Ergonomia não é uma profissão regulamentada no Brasil, diversas profissões podem se especializar e atuar nesta área, porém o fisioterapeuta tem se destacado por apresentar uma base em biomecânica que proporciona uma visão preventiva e, quando somada à visão de administração da produção (tempos e métodos), organização do trabalho, comunicação com stakeholders e questões legais, passamos a ter uma base para uma gestão eficaz das melhorias do ambiente de trabalho.

É possível ter um fisioterapeuta que atenda essas 3 frentes?
Esta não é uma resposta simples, mas a verdade é que não, não é possível. Basicamente pelo fato da Fisioterapia Clínica exigir habilidades e competências bem diferentes das exigidas pela Ergonomia (desenvolver análises, documentos e gerir plano de ações).
Em todas as frentes há uma demanda em comum, lidar com trabalhadores com queixas. E esta é uma outra característica que exige maturidade do profissional, para que consiga ter uma abordagem neutra, não se posicionando a favor de nenhum dos lados, empresa ou trabalhador.
Todas essas necessidades acabam mostrando que muitas vezes é válido ter um fornecedor/parceiro especializado nestas questões, para que esse profissional seja bem coordenado.

E quais resultados esperar?
De uma forma direta, um trabalho de gestão integrada de Saúde e Segurança do Trabalho, que inclua a fisioterapia clínica/do trabalho e gestão de ergonomia, poderá resultar em ‘zero’ afastamento, é isso mesmo, zero.
E a partir de baixos índices de afastamento, boas oportunidades de economia serão geradas, indo desde o absenteísmo, a sinistralidade do plano de saúde (redução de exames e consultas) e uso de medicamentos, chegando às questões trabalhistas indenizatórias por doença ocupacional e ao FAP (fator acidentário previdenciário).

Isso porque:

  1. Os riscos ergonômicos estarão reconhecidos, e assim os mais relevantes acompanhados de perto enquanto não controlados (reduzidos ou eliminados).
  2. O diagnóstico e intervenção precoce serão possíveis com um fluxo bem definido (colaborador com dor se manifesta e é avaliado por médico ou diretamente com fisioterapeuta, permitindo assim condutas preventivas imediatas).

E isso é parte do que fazemos na ElevaLife, pois temos a Fisioterapia e a Ergonomia em nosso DNA, com experiência em estratégias e execuções de campo e na gestão e capacitação de pessoas.
Se você deseja fortalecer essa frente de atuação em sua empresa, teremos grande satisfação em contribuir!

Um abraço, Rafael Piacenti

Rafael Piacenti

View posts by Rafael Piacenti
É fundador da ElevaLife, graduado em Fisioterapia (2006), especialista em Fisioterapia Esportiva (foi fisioterapeuta da Seleção Brasileira de Basquete sobre Rodas – 2010-2018), em Gestão de Ergonomia (2010) com formação em Conceito Lean e MTM. Iniciou sua atuação na área da saúde do trabalhador em 2009 na Valtra (empresa do grupo AGCO) e fundou a FISIOFIT Saúde em 2011, unida à ERGONOMOS em 2014 e se tornando ElevaLife em 2019.
Scroll to top